sexta-feira, 19 de novembro de 2010

O Gosto da Morte


Agora, ou nunca mais.
Minha mente está presa e minha alma condenada.
Não, nunca mais
Não terei novamente outra chance
Estou correndo em direção ao vazio
Fugindo do Manipulador de Sonhos
Buscando a saída desse estado inquietante em que sou prisioneira
Cavo a terra com minhas mãos tentando encontrar a passagem
A escuridão é profunda
Meus pulsos sangram e Ele pode sentir o cheiro
Correndo o mais rápido que posso tento me afastar
Mas estou perdida e não vou conseguir...


Tudo era silêncio e escuridão, caminhando sozinha entre ruínas não conseguia me concentrar.
Ele se aproximou e ao me tocar senti o violento impacto de um raio
Me apertou entre seus braços e me conduziu entre os corpos apodrecidos
Meu corpo se agitava ao seu toque, parecia querer libertar algo.
Me colocou diante de teu altar demoníaco, suas mãos percorreram meu corpo
como se já conhecessem o caminho.
Algo dentro de mim mudou
Mordi seus lábios e senti quando o sangue escorreu
Minhas mãos procuravam agora seu corpo
Sua boca fazendo o reconhecimento de meu corpo
Mil demônios nos assistindo
A deliciosa sensação inebriante
A prisioneira nefasta do desejo demoníaco!


(Nuit Engel)

2 comentários:

  1. Quente... ardente e muito excitante.
    Adooorooo.


    Beijos amore... saudade de ti minha poeta querida.

    ResponderExcluir